Nordeste obtém apenas 3% de novas concessões do Bolsa Família

06/03/2020

O Ministério da Cidadania priorizou as regiões Sul e Sudeste na concessões do Bolsa Família durante o mês de janeiro de 2020, em detrimento do Nordeste. Ao todo, 100.000 famílias foram contempladas no programa nesse período. A divisão ficou da seguinte forma:

  • Sudeste: 45,8% (45.763)
  • Sul: 29,3% (29.308)
  • Centro-Oeste: 15% (15.037)
  • Norte: 6,9% (6.857)
  • Nordeste: 3% (3.035)

Atualmente, o Nordeste conta com 939,6 mil famílias em situação de extrema pobreza (renda familiar per capita abaixo dos R$ 89 mensais), mas sem acesso ao Bolsa Família. Em todo o Brasil, são 2,39 milhões de famílias nessa situação.

A informação foi publicada na manhã desta 5ª feira (5.mar.2020) pelo jornal O Estado de S. Paulo. O Poder360 obteve os dados por meio do senador Renan Calheiros (MDB-AL), que reclamou da falta de equidade do programa.

Por exemplo: o número de novos benefícios concedidos em Santa Catarina foi o dobro do repassado a toda a região nordestina: 6.857. O governador do Estado é Carlos Moisés (PSL), aliado de Bolsonaro.

Jovem deixa as drogas após ouvir a voz de Deus em balada: "O teu lugar não é aqui"

02/05/2019

O jovem Filipe Araújo Costa conta que encontrou o caminho de volta ao propósito para o qual foi criado de uma forma bastante inusitada: em uma have, após ter usado drogas. O rapaz compartilhou seu impactante testemunho em uma conversa com o cantor e compositor Thalles Roberto, que divulgou o vídeo na última quarta-feira (19), em seu canal oficial do Youtube.

O testemunho faz parte do novo projeto de Thalles, intitulado "Saudade", que reúne histórias de vida que foram impactadas por Jesus e de alguma forma influenciadas pelo ministério do cantor.

"Eu era muito firme na igreja, fui líder de célula, participei do ministério de louvor, tocava guitarra, baixo, violão. Mas com o passar do tempo, o diabo foi entrando no meu coração, devagarinho", contou o rapaz.

Frequentando festas com amigos da escola, Filipe começou a fazer uso de bebida alcoólica, o que levou seu pai a proibir que ele frequentasse os eventos e isso deixou o jovem revoltado.

"Naquele dia nasceu uma semente no meu coração e eu pensei: 'um dia, eu não sei quando, mas um dia eu vou fazer tudo o que eu tenho vontade de fazer'", contou.

Em busca da “independência”

Com o passar do tempo, Filipe ansiava por sua maioridade, mas enquanto esse tempo não chegava, passou a frequentar os lugares que queria, ainda tentando esconder dos pais.

"O tempo foi passando e eu conheci a música eletrônica. Fiquei apaixonado. Fui a uma festa de música eletrônica em Passos (MG) e lá eu fumei maconha pela primeira vez", continuou.

A partir daí, o caminho para outras drogas se formou.

"O processo foi lento. Comecei fumando maconha, fui para o LSD, ecstasy, DMT, chá de cogumelo, lírio, usei de tudo”, contou o rapaz.

Apesar da frequência nas festas e o uso de drogas, para disfarçar, Filipe continuava frequentando a igreja com os pais.

“Eu ia para a igreja com os meus pais, mas completamente afastado de Deus”, confessou.

Filipe confessou que à medida que o tempo passava, se tornava cada vez mais consciente do que estava fazendo e chegava a se orgulhar disso.

“Eu batia no peito e falava: ‘meus pais estão construindo de um lado e eu estou desconstruindo do outro, eu vou promover o pecado’. Eu falava isso dentro de mim”, contou. “Tudo o que eu mais gostava de fazer era usar drogas e dançar música eletrônica por horas e horas”.

A “Bad Trip”

Como DJ, Filipe passou a tocar em diversas festas e quando surgiu o convite para estar em um grande evento de música eletrônica em Andradas (MG), ele não pensou duas vezes e foi ao evento.

Porém foi exatamente nessa festa que aconteceu algo inusitado com Filipe: ele ouviu a voz de Deus.

“Teve uma hora que, do nada, parece que apertaram um botão e tudo perdeu a graça. Me deu uma sensação muito ruim. Aí Deus me falou: ‘Eu não te criei para estar aqui. Aqui não é o teu lugar’”, contou ele.

Filipe se assustou, pensou que essa sensação e o fato de ter ouvido essa voz fosse o sinal de um efeito conhecido como “bad trip”. Muitas vezes, esse efeito é causado por fatores internos; como o estado mental que o usuário já apresentava antes do consumo e a droga ampliou e é considerado algo frustrante para o usuário, pois é exatamente o contrário do que ele buscava com a droga.

O rapaz então decidiu tentar se distrair na festa e quando pensou que estava conseguindo, a sensação ruim voltou, quando começou a tocar uma música que dizia: “Ah, meu Deus! Como é bom ser vida louca!”;

“Eu me joguei no chão e olhei aquela multidão. 15 mil jovens cantando isso de peito cheio: ‘Meu Deus, eu sou vida louca e amo isso’. Então, Deus me disse assim: ‘É, Filipe? Você gosta de ser vida louca?’. Deus começou a me mostrar tudo. Comecei a enxergar toda a falsidade, inveja, ira, destruição que tinha por trás daquilo ali”, relatou.

Após essa experiência, Filipe ficou chocado ao ver um rapaz sendo carregado para fora do evento, por ter sofrido uma overdose e entender que aquele poderia ser seu destino se continuasse usando entorpecentes.

Desesperado, o rapaz ligou para o pai e pediu para buscá-lo no evento. A partir dali, sua vida começara a mudar completamente.

Clique no vídeo acima para conferir o testemunho completo.

Ministro da Educação erra custo de avaliação escolar

02/05/2019

Weitraub disse que o gasto com a avaliação seria de R$ 500 mil e que deveria atingir cerca de 7 milhões de pessoas; valor foi corrigido depois para R$ 500 milhões

BRASÍLIA - Por um erro do Inep, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, divulgou o custo total que a pasta vai gastar com a avaliação do nível de alfabetização este ano mil vezes menor do que o valor contratado. Durante anúncio oficial nesta quinta-feira, 2, Weitraub disse que o gasto com a avaliação seria de R$ 500 mil e que deveria atingir cerca de 7 milhões de pessoas. Na coletiva, ele fez questão de ressaltar o valor dizendo que "cada real do contribuinte" era importante. Minutos depois, em nota, o Inep informou que o valor estimado para a realização do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) era, na verdade, cerca de R$ 500 milhões.

"Vamos avaliar não só o desempenho das crianças como o sistema de ensino como um todo. Nós vamos fazer um exame para sete milhões de crianças a um custo de R$ 500 mil. É importante falar. A postura nossa é sempre de dizer ao pagador de imposto e a sociedade onde está sendo alocado o imposto. Então, uma avaliação que vai ser feita a sete milhões de crianças a um custo total disso de R$ 500 mil para saber se as coisas estão andando bem", afirmou o ministrocompletando: "Cada real do contribuinte é importante".

Após as declarações, em nota, o Inep corrigiu o erro: "O Presidente do Inep (Elmer Vicenzi ) informa que o valor estimado para a aplicação do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) 2019 é de aproximadamente R$ 500 milhões. O valor de R$ 500 mil foi incorretamente apresentado ao ministro e na Coletiva de Imprensa realizada nesta data em função de uma inconsistência material na planilha de custos elaborada pelo Inep."

As novas diretrizes do Saeb foram publicadas nesta quinta-feira pelo governo federal, incluíram a etapa da alfabetização nos exames a serem aplicados este ano. As provas, voltadas aos alunos do 2º ano do ensino fundamental, haviam sido suspensas na gestão do ex-ministro da Educação Ricardo Vélez Rodríguez , demitido em abril. A avaliação será aplicada por amostragem aos alunos do 2º ano do fundamental de escolas públicas e privadas, distribuídos nos 26 estados e no Distrito Federal. Serão avaliados conhecimentos em língua portuguesa e matemática.

Na terça-feira, em meio a uma série de ataques às universidades federais, o ministro afirmou que a política de corte de verbas para universidades federais está atrelada ao plano do governo Bolsonaro de eleger a educação básica como prioritária.

Em vídeo postado nas redes sociais, Weintraub questionou se os contribuintes preferem que o dinheiro dos impostos seja gasto com alunos de graduação ou de creches. "Para cada aluno de graduação que eu coloco na faculdade, eu poderia trazer dez crianças para uma creche. Crianças que geralmente são mais humildes, mais pobres, mais carentes, e que, hoje, não têm creches para elas. O que você faria no meu lugar?", questionou. Na coletiva, o ministro não quis entrar no assunto.

Fonte: Estadão

Aplicativos


 Locutor Ao vivo


RÁDIO CRISTO É VIDA

FICA NA PROGRAMAÇÃO DA CRISTO É VIDA

Peça Sua Música

Name:
E-mail:
Seu Pedido:


Top 5

01.

Anderson

alma

02.

Bruna Karla

Advogado Fiel

03.

Antonia Gomes

Fica Tranquilo

04.

Ariely Bonatti

Quero Almas

05.

Amanda Wanessa

Eu cuido de ti

Anunciantes